Notícias

10 dicas para enfrentar a pandemia do coronavírus

Adriana Ventura, membro da Comissão de Saúde da Câmara dos Deputados, faz campanha de conscientização 

A Deputada Adriana Ventura, com base nas informações do Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e em materiais do Ministério da Saúde, desenvolveu uma campanha de conscientização da importância da população na contenção da pandemia.

1. Quem ama protege

Os idosos são o principal grupo de risco do coronavírus – pessoas com mais de 80 anos falecem em 20% dos casos! Assim, uma das dicas do Ministério da Saúde é evitar expô-los desnecessariamente ao contato social. Visitá-los apenas quando necessário já que muitos casos da doença não têm sintomas e podem transmiti-la sem sequer perceber – caso das crianças, por exemplo. O melhor, assim, é que os idosos fiquem em casa e evitem lugares públicos de grande circulação ou aglomerações como missas, academias, cinema, elevadores, ônibus e metrô. Além disso, vale muito insistir na vacinação contra a gripe. Ajude a evitar que as pessoas mais vulneráveis à doença sejam contaminadas.

Quem ama protege
Evite lugares de grande circulação

 

2. Quem ama lava as mãos
No dia 11 de março, o Ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta esteve na Comissão Geral da Câmara dos Deputados para falar sobre a Pandemia declarada pela Organização Mundial de Saúde e uma de suas frases foi: “se você não está lavando as mãos oito vezes por dia não está fazendo a sua parte”. Manter as mãos limpas de secreções e fluidos é importante para não contaminar as superfícies. Por isso, lave as mãos com sabão ou sabonete várias vezes ao dia e, se puder, compre um álcool gel a 70º para aplicar depois de as mãos estarem lavadas. Essa é uma disciplina importante que podemos, ou melhor, devemos ter.

Quem ama lava as mãos
Lave as mãos de seis a oito vezes ao dia e passe álcool gel

3. Quem ama pensa no próximo
O período de incubação, ou seja, o tempo entre o dia do contato com o paciente doente e o início dos sintomas, é, em média, de cinco dias para o coronavírus (em raros casos, o período de incubação chegou a 14 dias). Segundo a Sociedade Brasileira de Infectologia, provavelmente os 3 a 5 primeiros dias de início dos sintomas são os de maior transmissibilidade. Por isso, casos suspeitos devem ficar em isolamento respiratório, desde o primeiro dia de sintomas, até serem descartados. Além disso, pequenos atos de respeito ao próximo são importantes. Entre eles tossir e espirrar na parte interna dos braços, nunca usar as mãos. As mãos tocam várias superfícies e têm o poder de espalhar mais rápido o vírus. Essa é uma disciplina importante que podemos, ou melhor, devemos ter. É a chamada etiqueta respiratória.

Quem ama pensa no próximo - campanha coronavírus
Espirre no cotovelo e nunca nas mãos!

4. Quem ama faz a sua parte
Japão e China, nações disciplinadas, estão conseguindo conter mais a doença. Isso pois a população está colaborando voluntariamente e se isolando em casos de doença. Aproximadamente 8 em cada 10 casos do coronavírus são leves e não necessitam de hospitalização, mas devem permanecer em isolamento domiciliar. Se apresentar quaisquer sintomas, particularmente, febre, tosse ou falta de ar, a pessoa deve entrar em contato com o serviço de saúde. O Ministério da Saúde orienta o paciente a permanecer em casa, em isolamento, até a resolução completa dos sinais e sintomas. A equipe de vigilância local irá monitorar ativamente esses casos. Apenas 1,5 em cada 10 necessitam de internamento hospitalar fora da unidade de terapia intensiva (UTI) e menos de 5% precisam de suporte intensivo. Importante: se for a uma unidade de saúde, usar máscara cirúrgica durante o deslocamento e evitar utilizar transporte público. É aconselhado chamar uma ambulância ou utilizar veículo privado com boa ventilação.

Quem ama faz a sua parte
Fique em casa ao menor sinal de gripe!

5. Quem ama cuida da própria saúde
O Ministro Mandetta em audiência na Comissão Geral da Câmara dos Deputados recomendou que a população tome cuidados básicos como: arejar os espaços, fazer esportes em locais abertos e se alimentar da melhor maneira possível, com frutas e verduras. Outras recomendações do Ministério da Saúde são: manter os ambientes bem ventilados; evitar tocar o rosto, especialmente olhos, nariz e boca; não compartilhar utensílios de uso especial como talheres, batons, toalhas de rosto, travesseiros. E ainda alertou para que não caiam em fórmulas mágicas para aumentar a imunidade. O ideal é tomar a vacina da gripe Influenza. A Sociedade Brasileira de Infectologia recomenda que nenhuma medicação, como lopinavir-ritonavir, cloroquina, interferon, vitamina C, corticoide, etc, seja usada para tratamento de pacientes com COVID-19 até que exista evidência científica de eficácia e segurança. Algumas delas, como o corticoide, já demonstraram que podem piorar a evolução de outras viroses respiratórias, como na gripe. Dicas de saúde devem vir de fontes confiáveis como o próprio Ministério da Saúde, a SBI ou o médico de sua confiança. Quem ama cuida da própria saúde.

Quem ama cuida da própria saúde
Faça esportes em lugares abertos, coma bem e se cuide!

6. Quem ama evita multidões
A capacidade de contágio do coronavírus, leia-se o número médio de pessoas contagiadas por cada doente é de 2,74. Ou seja: cada um que pega passa em média para quase três pessoas. Para se ter uma ideia, na pandemia do H1N1 em 2009, a taxa foi de 1,5, a metade. Por isso, é importante evitar grandes aglomerados e lugares sem muita ventilação, propícios para a propagação do vírus. Uma das recomendações da Sociedade Brasileira de Infectologia é não ir a grandes eventos, tampouco promovê-los. O Ministro Mandetta ainda recomendou que as empresas estimulem o home office, reuniões à distância e escalas alternativas de trabalho. Promover o distanciamento social. O esforço e a disciplina de cada um serão fundamentais no enfrentamento da pandemia.

Quem ama evita multidões
Estimule o home-office e reuniões à distância

7. Quem ama sorri
O Ministério da Saúde recomendou evitar ao máximo o toque no outro. Aperto de mãos, beijinhos e abraços podem esperar a pandemia passar. O ideal é cumprimentar com saudações à distância, com um ‘namastê’, um cumprimento oriental ou com o velho e bom sorriso. Além de se proteger de contrair o coronavírus, você protege a outra pessoa.

Quem ama sorri
Evite apertos de mão, beijinhos e abraços!

8. Quem ama vacina
Não existe ainda vacina para o coronavírus. Mas a vacinação contra a gripe, segundo o Ministério da Saúde, é uma maneira de prevenir outras doenças respiratórias, que podem debilitar as pessoas e deixá-las mas suscetíveis ao covid-19. O Governo fará uma campanha de vacinação contra a gripe focada em idosos e profissionais da saúde ainda em março, mas aqueles que puderem já tomar a vacina em clínicas particulares devem fazê-lo.

Quem ama vacina
Previna-se de outras doenças respiratórias

9. Quem ama não entra em pânico
O Ministério da Saúde está trabalhando com as secretarias dos estados em medidas de contenção, prevenção e estruturação para atendimento. O que não ajuda é a população entrar em pânico e começar a tomar por si só medidas sem estarem em sintonia com as ações do Ministério. Na dúvida, as pessoas devem checar as informações no site do Ministério da Saúde antes de repassar as informações e as medidas. O mesmo vale para as empresas. O pânico não ajuda em nada. Tampouco ajudam as informações falsas, as chamadas fake news.

Quem ama não entra em pânico
Cheque a procedência das informações!

10. Quem ama respeita as regras
A obediência às recomendações do Ministério e Secretarias da Saúde é muito importante para atacar de frente a pandemia. Muitas vezes uma ação bem intencionada pode trazer resultados ruins. Um exemplo comentado pelo Ministério da Saúde é o fechamento de escolas, o que pode levar as famílias deixarem as crianças com os avós. Nas crianças, o coronavírus tem se apresentado de forma leve e a letalidade é próximo a zero; já no idoso, a letalidade é grave – 15 casos em cada 100. Ou seja, por enquanto, fechar escolas pode ser pior do que a encomenda. Mas essa orientação pode mudar conforme a evolução da pandemia.

Quem ama respeita as regras
Siga as orientações do Ministério da Saúde!